Sinta-se Em Casa

Entre. Puxe a cadeira. Estique as pernas. Tome um café, e vamos dialogar com a alma.



quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Descanso circunstancial?

O que Deus fez com Adão para fazer Eva pra ele? Ele o fez dormir, um sono profundo. Adão se desligou completamente de tudo. Foi uma anestesia geral. 

Por que Deus fez Adão dormir? A princípio porque se tratava de um procedimento cirúrgico. Era um procedimento necessário e de proteção das dores, e porque não de surpresa

Coisa parecida acontece com a gente. Em algum momento da vida pode ser necessário parar. E parar pode ser cirúrgico, necessário, cuidadoso e preparatório para novidades.

Podemos ser parados circunstancialmente por saúde nossa ou dos nossos, por mudança de lugar ou trabalho, ou ainda por alguma outra perda, ou simplesmente quando não sabemos como agir e não temos o que fazer.  

O problema é que o tempo de parada circunstancial sempre nos parece o pior, e desastroso. Por quê? Porque as coisas fogem ao nosso controle, e quando não mais controlamos ou pensamos não controlar nossa vida é natural a sensação de insegurança. 

Mas, a questão é: Quem está no controle? Quem é o cirurgião? Quem nos faz parar em alguns momentos, ou de tempos em  tempos? 

A melhor coisa a ser fazer então é não reagir contra. Adão dormiu o tempo necessário. E nós? Temos descansado o tempo necessário? Descansado no Senhor. Ou Ele perdeu o controle da nossa vida? Ou Ele não é o Pai que nos quer bem? 

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Quem está preparado?

Todos podem se casar, mas nem todos estão preparados para serem maridos e esposas segundo o coração de Deus

Todos podem fazer sexo, mas nem todos estão preparados pra amar.

Todos podem ser pai e mãe, mas nem todos estão preparados para educar.

Todos podem fazer parte de uma igreja local, mas nem todos estão preparados para serem adoradores.

Todos podem contribuir, mas nem todos estão preparados para repartir com alegria.

Todos podem conquistar bens e ter o seu salário, mas nem todos estão preparados para serem mordomos fiéis

Todos podem viver, mas nem todos estão preparados para "carpe diem" e muito menos para a vida eterna

Todos estão preparados para "apontar o dedo", mas nem todos estão preparados para se colocarem de joelhos em arrependimento pelos seus próprios atos pecaminosos. 

Você está preparado?  

A Palavra de Deus, a Bíblia, nos prepara. Fica a dica!

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Pastor de Jumentos?

De quem o pastor cuida? A resposta mais óbvia e imediata é: pastores cuidam de ovelhas. Pastores cuidam de um Rebanho. É verdade! Mas, também é verdade que pastores cuidam de Tropa?

A Bíblia diz que Aná apascentava os jumentos de seu pai (Gn. 36.25 - NVI). Jumentos também são cuidados e apascentados, por isso, parte do Rebanho pode ser um Tropa, o coletivo de jumentos. 

Como assim? 

Ou nem todos são ovelhas, ou no mínimo algumas ovelhas se comportam de maneira tola, o que significa se caracterizar como parte de uma Tropa. 

Aliás, Deus nos alerta a não nos comportar como parte de uma tropa: "Não sejam como o cavalo ou o burro, que não têm entendimento mas precisam ser controlados com freios e rédeas, caso contrário não obedecem." (Sl. 32.9)

Nós precisamos de suas orações porque tratamos com Rebanho e Tropa ao mesmo tempo. 

(Obs.: quem está em pauta é o pastor de verdade, não os pastores tolos nem os lobos). 

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

O que nos falta para novas conquistas?

Essa é a Torre de Belém em Lisboa. Daí saiam as Caravelas para conquistar outras terras. E olha que isso foi nos séculos XV e XVI. O que foi necessário?

Coragem para desbravar o desconhecido. Riscos nos bravios mares. Perigos nas desconhecidas terras. Habilidade e destreza marítimos. E, sem dúvida, a bênção dos céus - que neste caso - na interpretação deles - vinha do mosteiro dos Jerônimos logo em frente da Torre de Belém. 

Não nos falta hoje este mesmo espírito, destreza e bênção? Aliás, por que achamos que não temos a bênção para avançar? 

O que nos falta seriam as bênçãos do Alto ou a coragem para desbravar? 

O que nos falta seriam as bênçãos do Alto ou a destreza para vencer as ondas furiosas que nos golpeiam? 

Se temos as bênçãos do Alto então vamos ganhar os mares, desbravar novas terras, conquistar novos povos.

Parece até que já ouvimos algo parecido? Foi Jesus quem disse: "...edificarei a minha igreja, e as portas do Hades não poderão vencê-la." (Mt. 16.18)

O que estamos a esperar?

Se o nosso trabalho se limitar a apenas manter aqueles que já estão, estamos a diminuar a proposta do Evangelho, pois a ideia do texto acima é que as portas que fazem oposição ao avanço da igreja não são capazes de impedir a sua marcha triunfante. 

Desbravar! Essa é a palavra que pode bem interpretar a Palavra de Jesus pra Igreja. 

Chega de desculpas. Somos limitados. Mas, vamos olhar apenas para as nossas limitações? E as virtudes que recebemos? E os dons? E o poder do Espírito? E o Evangelho que é o poder de Deus? 

Se nos falta destreza, vamos nos preparar com metas mensuráveis. Se nos falta o espírito de coragem, vamos orar e agir. 

Sendo assim, qual o seu próximo passo? 

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

A tristeza de um pastor

Quando comecei a pastorear a mesma igreja local de 19 anos atrás, ela era simples e pobre de posses materiais. As pessoas eram assim. Não havia carros à porta. Muita gente morando de aluguel. Também não havia vários universitários e concursados. O nosso perfil era limitadíssimo. 

Esses 19 anos de orientaçōes e acompanhentos múltiplos provocaram algumas mudanças. Uma visão holística nos fez olhar para todos os lados da vida. Fomos desafiados a olhar todas as coisas como de Deus. Combatemos a visão dualista do santo e profano, pois "quer comamos ou bebamos, façamos tudo para a glória de Deus" (1 Co. 10.31).

Hoje temos muitos carros aos domingos. Inclusive carros muito bons e novos. Muitas casas foram reformadas, e alguns adquiriram suas casas próprias. Hoje temos gente com formação e graduação mais elevada, e alguns outros concursados. Aquelas crianças de 19 anos atrás, alguns hoje estão casados e outros já são pais. Também é muito comum alguns privilégios como pacotes de viagem nas férias.

Eu me alegro com tudo isso. Mas, tenho algumas tristezas também. 

Hoje choro e sinto saudade da simplicidade que provocava maior presença nas reuniões de oração, e nos desafios da Igreja. 

Hoje lamento alguns casamentos sendo desfeitos e outros que já acabaram embora não pareça.

Hoje me preocupo com jovens se perdendo, e alguns em nome de seus direitos adquiridos encontram-se afastados da perspectiva missionária.

Então uma senhora e depois um rapaz sonharam que eu estava triste. Esses sonhos só confirmaram a tristeza de ver que os meus "filhinhos" não andam na verdade (3 João 4). Se a maior alegria de João era ver que seus filhinhos andavam na verdade, a minha tristeza é justamente pelo contrário.

Hoje penso que deveria orar e apoiar somente a prosperidade daqueles cuja alma também são prósperas (3 João 2-3). 

Definitivamente não vale a pena ver um povo se perdendo em suas próprias bênçãos.