Sinta-se Em Casa

Entre. Puxe a cadeira. Estique as pernas. Tome um café, e vamos dialogar com a alma.



quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Pode ou não pode?

"Pode ou não pode?" Normalmente as vãs discussões e filosofias inúteis estão relacionadas com esse tema. 

Antes dele, deveria vir outra pergunta: "Qual é a base da nossa discussão?" Pois quando definimos a base de nossa discussão, muito dessas discussões nem existirão. 

A base de nossa discussão precisa ser a Bíblia. O que a Bíblia diz? 

O que a Bíblia diz sobre fazer Zumba? E o vinho e o cigarro? E casais casados irem ao Motel? E os jogos de azar? A Bíblia é clara? Não. 

Qual seriam os valores bíblicos que superam essas questões? 

Testemunho e aparência do mal. 

Vida no Espírito sem dar oportunidade à carne. 

As obras da carne e o fruto do Espírito.

Simplicidade e gratidão ao Senhor. 

Percebem como a Bíblia universaliza princípios que são válidos a toda cultura. Se a cultura muda, a Bíblia não muda. Se você está numa outra cultura, a Bíblia não muda. 

O "não pode" das Escrituras é explícito em questões superiores aquelas que costumamos discutir. Veja algumas contradições:

Tem gente que condena a ida ao Motel, mas admite o divórcio.

Condena o cigarro e o vinho, mas se destrói com tantas outras porcarias.

Jamais jogaria na Loteria, no entanto, discute, passa mal, comete idolatria ao torcer de maneira tão fanática pelo seu time. E faz apostas indiretas, que não valem dinheiro, mas valem a paz. 

Esses argumentos é porque concordo que se faça tudo isso? Não. Falo do jeito que falo porque precisamos elevar o nível de nossas discussões. 

E sobre o divórcio? A Bíblia é clara.

E a promiscuidade? A Bíblia é clara.

E a vida independente de Deus? A Bíblia é clara.

E sobre escandalizar seu irmão? A Bíblia é clara. 

E ainda sobre a liberdade em Cristo? A Bíblia é clara.

E a consciência própria e alheia? A Bíblia é clara.

Vamos discutir e falar bastante sobre as coisas que são clara biblicamente. As demais são secundárias. E sobre elas "Que a paz de Cristo seja o árbitro em seus corações..." (Cl. 3.15a).

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Um nível acima de discussão...

Foi a época em que discutia sobre o que pode e o que não pode. Chega de extremos. Aqueles que defendem o não, são considerados legalistas; e aqueles que admitem o sim, serão tidos como liberais. 

Jesus nos chamou para vivermos num nível acima, mas não nos chamou para o legalismo. Ele nos chamou para sermos livres, mas não nos chamou para a libertinagem. 

Qual é o equilíbrio? O Evangelho é o equilíbrio. Quem é cheio do Evangelho é também guiado pelo Espírito e saberá o que fazer e quando fazer, acima dos pré-conceitos e padrões humanamente estabelecidos.

Empobrecemos a proposta do Evangelho quando a nossa preocupação são as coisas que nele não estão contidas.

Chega de discutir e dividir por temas como: "Posso ou não ir ao motel com a minha esposa?" "É pecado beber vinho?" "O crente pode ou não jogar na loteria?" "Posso comprar rifa?" 

Quem está no Evangelho vai perguntar à sua própria consciência: "O que faço gera mal testemunho?" "O que as Escrituras me orientam?" "Vai edificar meu relacionamento?" "Onde posso fazer?" "Com quem posso ir?" "Quem pode saber a respeito de meu comportamento íntimo?"

O que posso e o que não posso está revelado nas Escrituras, o que não está ali revelado, a vida no Espírito é capaz de conduzir nossa consciência. 

E por motivo da consciência do outro, renunciamos algumas práticas, mas por razão da nossa própria consciência diante Deus também nos permitimos algumas coisas.