Sinta-se Em Casa

Entre. Puxe a cadeira. Estique as pernas. Tome um café, e vamos dialogar com a alma.



quarta-feira, 17 de junho de 2015

REVITALIZANDO A MISSÃO

"Qualquer igreja que não está seriamente envolvida a cumprir a Grande Comissão perdeu o direito bíblico de existir" (Oswald J. Smith)

Sete sintomas de uma Igreja que precisa ser revitalizada: 1) focalizam programas; 2) vivem voltadas para o passado (nostalgia e tradição); 3) tendem a focar em certos tipos de personalidade; 4) mentalidade de manutenção; 5) apresentam justificativas para o fracasso e se colocam como vítimas; 6) má reputação na comunidade; 7) se desviaram do Evangelho da graça.

E à parte desses, o principal sintoma é a omissão na obra missionária. Evangelizar é continuar a obra iniciada por Cristo (Jo. 20.21).

Há igrejas que sofrem da "Síndrome de Peter Pan na Terra do Nunca". Igrejas adultas que não querem crescem e assumem uma tamanho e comportamento infantis. Isso é parecido com a "Síndrome da Porta Fechada" (Jo. 20.19-21, 25).

Por causa do medo, da incredulidade e da desesperança eles não conseguiam enxergar a herança dos Evangelhos: em João o MODELO da missão (o Pai enviou o Filho, e o Filho nos envia); em Marcos a DIMENSÃO da missão (ir por todo o mundo); em Lucas a MENSAGEM da missão (o Messias que perdoa pecados e salva); e em Mateus a AUTORIDADE da missão (batizar e ensinar em Jesus). 

Quando a Igreja se abre ela é confrontada e restaurada como Pedro, e entende que: 1) O amor de Jesus é a razão e a motivação do ministério pastoral (Jo. 21.15-17); 2) O ministério é dirigido pelo Senhor (Jo. 21.18); 3) No ministério devemos seguir a Jesus (Jo. 21.19); 4) Deus tem um projeto específico para cada líder (Jo. 21.20-13).

E então? Temos assumido a herança dos Evangelhos?

(Obs.: baseado no capítulo de Arival Dias Cassimiro no Livro "Revitalização da Igreja")

segunda-feira, 15 de junho de 2015

UM DEBATE COM 10 PERGUNTAS DE CADA LADO

O que está acontecendo? O profeta Malaquias vive num momento de pós-cativeiro e, portanto, de reconstrução histórica. É uma fase de desafios e de algumas instabilidades, que se tornou de questionamentos intensos também. Deus então traz à tona as perguntas que o povo está fazendo:

PERGUNTAS QUE AFRONTAM AO SENHOR:
1.    DE MANEIRA NOS AMASTE? (1.2)
RÉPLICA: Amo incondicionalmente (1.3)

2.    DE QUE MANEIRA TEMOS DESPREZADO O TEU NOME? (1.6)
RÉPLICA: Nas ofertas (1.7)

3.    DE QUE MANEIRA TE DESONRAMOS? (1.7)
RÉPLICA: A mesa do Senhor é desprezível (1.7)

4.    NÃO TEMOS TODOS O MESMO PAI? NÃO FOMOS TODOS CRIADOS PELO MESMO DEUS? POR QUE SERÁ, ENTÃO QUE QUEBRAMOS A ALIANÇA DOS NOSSOS ANTEPASSADOS? SENDO INFIÉIS UNS AOS OUTROS? (2.10)
RÉPLICA: Contratos mistos, infidelidade, divórcio e relacionamento de péssima qualidade (2.11, 14, 16)

5.    COMO O TEMOS CANSADO? (2.17)
RÉPLICA: Ética e relacionamento distorcidos (2.17)

6.    ONDE ESTÁ O DEUS DA JUSTIÇA? (2.17)
RÉPLICA: Jesus virá... (3.1)

7.    COMO VOLTAREMOS? (3.7)
RÉPLICA: A obediência ao mandamentos (3.7)

8.    COMO É QUE TE ROUBAMOS? (3.8)
RÉPLICA: Nos dízimos e nas ofertas (3.8)

9.    O QUE TEMOS FALADO CONTRA TI? (3.13)
RÉPLICA: É inútil servir a Deus (3.14)

10.  O QUE GANHAMOS QUANDO OBEDECEMOS AOS SEUS PRECEITOS E FICAMOS LAMENTANDO DIANTE DO SENHOR DOS EXÉRCITOS? (3.14)
RÉPLICA: Deus é injusto (3.15)

PERGUNTAS RETÓRICAS DO SENHOR:
1.    SE EU SOU O PAI, ONDE ESTÁ A HONRA QUE ME É DEVIDA? (1.6)
2.    SE EU SOU O SENHOR ONDE ESTÁ O TEMOR QUE ME DEVEM? (1.6)
3.    SERÁ QUE ELE SE AGRADA DE VOCÊS? (1.8)
4.    SERÁ QUE ELE OS ATENDERÁ? (1.8)
5.    SERÁ QUE COM ESSE TIPO DE OFERTA ELE OS ATENDERÁ? (1.9)
6.    QUANDO VOCÊS TRAZEM ANIMAIS ROUBADOS, ALEIJADOS E DOENTES E OS OFERECEM EM SACRIFÍCIO, DEVERIA EU ACEITÁ-LOS DE SUAS MÃOS? (1.13)
7.    E VOCÊS AINDA PERGUNTAM: “POR QUÊ?” (2.14)
8.    NÃO FOI O SENHOR QUEM OS FEZ UM SÓ? E POR QUE EM UM SÓ? (2.15)
9.    MAS, QUEM SUPORTARÁ O DIA DA SUA VINDA? QUEM FICARÁ EM PÉ QUANDO ELE APARECER? (3.2)
10.  PODE UM HOMEM ROUBAR A DEUS? (3.8)

(Obs.: mensagem compartilha na Celebração de 14/06/15)

quarta-feira, 10 de junho de 2015

REVITALIZANDO A PREGAÇÃO

A pregação é o principal instrumento usado por Deus para levar a Igreja ao crescimento (Rm. 10.17). Falando em crescimento é preciso evitar dois extremos: numerolatria e numerofobia. 

Outro perigo contra a pregação é o pragmatismo, pois ele não se preocupa com a verdade, mas com o que funciona. 

Essa postura negativa frente a pregação revela hoje uma Igreja Brasileira mergulhada em quatro graves problemas: 1) Liberalismo Teológico; 2) Sincretismo Religioso; 3) Ortodoxia Morta; e, 4) Analfabetismo Bíblico.

Seria especial se os pregadores brasileiros entendessem o púlpito como Martyn Lloyd-Jones e Calvino. Aquele disse que a pregação é a tarefa mais importante do mundo, e esse entendia que o púlpito é o trono de onde Deus governa a sua igreja. 

O Livro de Neemias expõe alguns princípios quando a Palavra é celebrada entre o povo de Deus:

O texto bíblico é prioridade (Ne. 8. 2, 3, 5).

A explicação do texto é prioridade (Ne. 8.7, 8). Aliás, Calvino entendia que a pregação se constitui na explicação do texto bíblico.

A aplicação do texto é fundamental (Ne. 8.9-12).

E o resultado já conhecemos. É alegria, arrependimento, confissão e mudança de vida.

Como anda a pregação em sua vida e Igreja? Qual é o lugar que ela toma?

(Obs.: baseado no Livro "Revitalizando a Igreja" de Hernandez Dias Lopes e Arival Dias Casimiro.)

segunda-feira, 8 de junho de 2015

REVITALIZANDO A VISITAÇÃO

Thom Rainer, Estados Unidos, pesquisou mais de 500 igrejas, que cresciam com sucesso... Elas investem na PREGAÇÃO EXPOSITIVA, ORAÇÃO, VISITAÇÃO, MISSÕES e ESCOLA BÍBLICA. 

CONCEITO TEOLÓGICO
Hebraico (pakad) “prestar atenção, lembrar, observar, procurar”. Grego (episkeptomai) “inspecionar para fora, olhar com o fim de ajudar, escolher”.

TRÊS IDEIAS BÁSICAS: 1) Contato pessoal; 2) exame pessoal; 3) préstimo pessoal.

TEOLOGIA DA VISITAÇÃO
DEUS É O AUTOR DA VISITAÇÃO (Ele visita para abençoar: Gn. 21.1-2; Sl. 65.1, 9; Sl. 8.4; 106.4; Ele visita para julgar: Êx. 32.34).

JESUS É A ENCARNAÇÃO DIVINA DA VISITAÇÃO (L. 1.68; 19.9)

JESUS COMISSIONOU PRA VISITAÇÃO (Lc. 10.5)

DEUS COMISSIONA SEUS PASTORES (1 Pe. 5.2-3)

OS APÓSTOLOS ASSUMIRAM A VISITAÇÃO (At. 15.36; 2 Co. 7.5-7)

EXISTE UMA PRIORIDADE NA VISITAÇÃO (Tg. 1.26, 27)

EXISTE UMA EXCEÇÃO NA VISITAÇÃO (Tt. 3.10-11)

O QUE PODE ACONTECER NUMA VISITAÇÃO?
OPORTUNIDADE DE CUIDADO MÚTUO (amai-vos uns aos outros, acolhei-vos uns aos outros, consolai-vos uns aos outros, encorajai-vos uns aos outros, admoestai-vos uns aos outros, suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos uns aos outros, sujeitai-vos uns aos outros, edificai-vos uns aos outros, levai as cargas uns dos outros, confessai uns aos outros, orai uns pelos outros, considerai-vos uns aos outros, servi uns aos outros, saudai-vos uns aos outros)

O QUE NÃO PODE ACONTECER NUMA VISITAÇÃO?
INTERESSE EGOÍSTA
PROVOCAÇÃO INDECENTE
FALATÓRIOS INFAMES E NÃO EDIFICANTES
APARÊNCIA DE PIEDADE
CONSELHOS NÃO-BÍBLICOS

(Obs.: baseado no livro "Revitalização da Igreja" de Hernandez Dias Lopes.)