Sinta-se Em Casa

Entre. Puxe a cadeira. Estique as pernas. Tome um café, e vamos dialogar com a alma.



quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Eu sou vermelho, azul e branco...

Eu pequei! Vomitei minhas percepções de modo extremamente impiedoso e agressivo. Eu pequei porque não testemunhei minha maior esperança num momento de crise "temporária".

Sei que posso compartihar até denúncias contra o Governo, mas me inflamei e compartilhei junto com coisas cabíveis, outras  coisas. Algumas dessas "outras coisas" eu repeti como papagaio, sem refletir, e outras dessas "outras coisas" foram torpes.

Por favor, em nome do Senhor Jesus eu sei que afrontei e não só confrontei. Eu sei que desrespeitei e não só informei.

Agredi pessoas queridas e também o direito livre de escolha. Não cito nomes aqui, porque algumas ferpas eu troquei "inbox" e foram resolvidas.

Somente três coisas mais para que ninguém deixe de compreender minha motivação:

1) Não me humilho por ser pastor, mas por ser pecador arrependido; 2) Não estou interessado em "passar um pano" em minha imagem ou relacionamentos; antes porém, desejo alcançar pela graça de Deus o perdão sincero contra quem pequei; 3) Alguns "posts" eu já exclui, outros eu "editei", e  outros ainda permanecem no ar, mas apenas como direito de posicionamento, sem partidarismo, e ciente que o mal do Brasil não tem uma ou outra cor especificamente; 4) Você ainda me verá compartilhando denúncias e críticas, mas entenda apenas como dever de ação política e profética.

Enfim, o vermelho que espero carregar é apenas do sangue de Jesus, e o azul somente da lembrança viva do lugar para onde vou em Cristo. E não poderia deixar de assumir o branco que não é de neutralidade, mas sim, de quem já foi purificado na Cruz. E serei contra toda e qualquer cor que se levanta contra essa "Trilogia supra cósmica".

God bless Brazil!!!!! God bless our government!!!!!!

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Não podemos mais ser politizados? Viva a Reforma Protestante!

Cristão no Brasil não pode ser politizado? 

Ser politizado não significa ser mundano.

Por que não podemos entender algumas diferenças?

Pacífico não é o caráter de pessoas inertes.

Orar não é um chamado a amordaça política e profética.

Criticar o "mapa eleitoreiro" ("eleitoreiro" mesmo; não quero dizer "mapa das eleições" nem "mapa eleitoral") não é xenofobia e nem bulling, salvo aqueles que usam palavras de "baixo calão" e agressões morais.

A propósito sou contra o partidarismo cego: petista, tucano ou de qualquer natureza. 

O que é mais grave? 

O desacato a raça bem como o cerceamento daqueles que desejam opinar sobre os rumos do nosso país.

Meu convite é sim ao respeito, a oração, ao debate salutar e a ação profética ao mesmo tempo. 

Não foi assim que viveram os reformadores? Falando nisso, dia 31 de Outubro está chegando. Viva o espírito do protestantismo!

João Batista me tirou da cama...

Antes do que eu me proponho a defender preciso reconhecer que muitos votaram na Dilma num gesto de gratidão porque tiveram uma oportunidade de estudar, de comer, de sair da miséria, de ser olhado por alguém lá de cima.

Em nome da coisas boas podemos fechar os olhos para os Mensaleiros e Petroleiros? Miserável herança tupiniquim. Se nos dão bugigangas podem levar o nosso ouro. O nosso "ouro preto" está sendo trocado pelas inúmeras bolsas.

Onde o Brasil vai parar com tanta Bolsa? Não estou satirizando: tem Bolsa Família, Pesca, Floresta, Gás, Maternidade, Drogas, Presidiário etc. 

E se a inflação disparar? E se dólar continuar subindo. E se a Dilma continuar "embirrada" com os Estados Unidos? E os Investidores Internacionais seguirem desconfiados da credibilidade de nosso Mercado?

A nossa esperança está no Senhor? Esperança do quê? Esperança do País não virar uma Ditadura para o que se encaminha. Por que Joaquim Barbosa se aposentou tão de repente? Por que Lula achou que ele foi exagerado com o Genuíno e o Dirceu? 

Nenhum político presta? Por que o Fernando Henrique continua andando de cabeça erguida depois de 8 anos de mandato? É falta de caráter não reconhecer que o Governo dele promoveu a estabilidade financeira contra a inflação.

Gente eu resolvi falar o que posso falar e não apenas orar. Estava pensando em apenas orar, mas João Batista me despertou nessa manhã. Ele me fez lembrar que eu posso fazer as duas coisas: orar por Herodes e apontar o dedo no nariz dele se for preciso, assim como Jesus fez. E se recorrermos a História da Igreja? Os mártires morreram não apenas porque estavam evangelizando e não querendo adorar aos imperadores. Muitos deram a vida porque colocaram o dedo na ferida do Estado.

O texto de 2 Timóteo 2:1-2 que fala para orarmos pelas autoridades não ensina ninguém a se calar e ser conivente. Quem conhece o apóstolo Paulo sabe que ele mesmo não se permitia ser amordaçado contra as injustiças sociais e de poder.

Nenhum bom teólogo deveria usar aquela frase de Jesus a Pilatos: "Nenhum poder teria se do alto não lhe tivesse sido dado" para achar que foi Deus que colocou a Dilma no poder. O posto da autoridade é Deus quem dá, mas na democracia Ele nos dá o direito de escolha. E se temos o Governo que merecemos não foi Deus quem nos deu, fomos nós que semeamos.

"Eles instituíram reis sem o meu consentimento; escolheram líderes sem a minha aprovação..." (Os. 8:4) 

Acabei de citar um profeta que colocou o dedo nas chagas purulentas dos sacerdotes e governantes. Um profeta que considerou até a desordem ecológica como consequência das ações dos governantes.

Quem conhece as misérias da Venezuela e de Cuba sabem que não podemos nos calar, enquanto ainda podemos falar. Não sei até quando. E não quero espiritualizar, pois se a perseguição vier que venha, mas eu não preciso colaborar com ela.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Mais 4 anos num "Brasil Venezuelano"...

Onde a Dilma ganhou? Onde ela perdeu? Ela ganhou nas regiões mais pobres onde está o maior índice de assistencialismo barato (e isso vale pra Minas também). O Bolsa Família, Bolsa Gás, Bolsa Pesca, Bolsa Floresta... definiram as Eleições.

Quem tem acesso a Revista Veja? Quem leu a matéria sobre o "Pretolão"? O populacho brasileiro não lê, não acessa reportagem séria. 

Eu amo o meu país, mas fico profundamente entristecido ao vê-lo tão medíocre. É triste ter que engolir por mais 4 anos um Governo tão generoso que constrói Porto em Cuba, que perdoa dívidas dos outros, que dá dinheiro pra quem precisaria de ajuda temporária, que tem projetos de continuar dando o peixe, sem se preocupar com a vara e lições de pescaria. 

Abrimos a porta para um Projeto Escolar, do Governo Federal, em nossa quadra de esportes. Meu filho não pôde participar. Sabe por quê? Porque ele não era ruim de comportamento e nem de nota. Somos um país que premia a mediocridade.

Onde vamos parar? 

Não temos mais tanto dinheiro quanto tínhamos. O número de "necessitados" aumenta todo dia. A economia encolhe. O dinheiro diminui. 

Pena ter que engolir um governo bolivariano, um governo que cultua Fidel, uma "Presidenta" que amava Hugo Chaves.

Meu Deus onde vamos parar?

E os projetos petistas contra a família? Gente que conhece as propostas petistas e que tem o mínimo de apreço pela família não deveria nunca apoiar um partido tão libertino, tão anti-bíblico em sua ideologia.

Não sou a favor dos tucanos simplesmente. Sou contra o PT. Sou contra a manutenção do poder. Sou contra a mediocridade.

Muitos que tiveram oportunidades na área da educação talvez estejam discordando. Mas, também sou contra as cotas. Muita gente boa aproveita a oportunidade e a honra, mas porque alguém deveria ter direito só por causa da cor da pele. Isso é racismo em nome do não-racismo.

Bom acho que me sinto melhor para começar a engolir esse "governinho" por mais 4 anos. Na verdade depois desse desabafo preciso fazer o que devo: orar pelos nossos governantes, orar pelo nosso povo, e ter muita esperança de não continuar vivendo num "Brasil Venezuelano" dado termos hoje um país dividido.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Perder por Jesus é ganhar demais

A pauta era o jovem rico. Ele se afastou triste porque Jesus recomendou que a tudo vendesse e entregasse aos pobres (Mt. 19:16-22).

Dessa experiência Jesus afirma sobre a dificuldade de um rico herdar o Reino dos céus (Mt. 19:23-26).

Lembra da pauta? Era o jovem rico. Mas, os discípulos se colocam nela. Eles querem saber o que seria deles: "Nós deixamos tudo para seguir-te! Que será de nós?" (Mt. 19:27) 

Eles se colocaram no mesmo nível do jovem rico porque largaram a pescaria e a coletoria. Naquele contexto eles eram mesmo privilegiados. Tinham trabalho e estabilidade e não apenas pescavam como poderiam considerados micro-empresários e executivos. 

Eles abrem-mão de alguma coisa que era certa para seguirem, aparentemente, em direção nenhuma e para ganharem nada.

Foi aí que Jesus afirmou do privilégio que tem aqueles que deixam tudo, tudo mesmo, por amor a Ele. Esses receberão a melhor recompensa no por vir, mas aqui ainda receberão cem vezes mais (Mt. 19:28-30).

Eles renunciaram tudo. E você? 

É fácil renunciar o que não se tem. Aliás é uma contradição. É fácil renunciar quando tudo o que se tem é apenas sonho, possibilidade e perspectiva. Mas, quando tudo isso já se conquistou, e se tem estabilidade, a renúncia se torna pertinente e dolorosa. 

Quando tinha apenas 16 anos larguei "tudo" e renuncia essa vida, mas tudo era apenas sonho, possibilidade e perspectiva. Hoje depois de títulos, honras, algumas graduações, idiomas, casa, carro, família com filhos pequenos e familiares tão próximos, relacionamentos aprofundados no tempo, vida financeira confortável, é extremamente desafiante, difícil, doloroso, mas possível. É mais difícil ainda, não impossível, quando deixar tudo, ou re-utilizar tudo, é num contexto de mudança drástica. Bem-vindo Portugal se foi mesmo o Senhor quem me chamou!

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Tristeza, dor e morte porque quer

Hoje cedo quando fui comprar pão, essa foto do Ministério da Saúde me chamou atenção. Mais precisamente: "A dependência da nicotina causa tristeza, dor e morte."

Tomei café pensando: "O que mais causa tristeza, dor e morte, além das drogas?"

Correr atrás do vento.

Você já viu alguém que conseguiu pegar e controlar o vento?

Correr atrás do vento é correr atrás do nada. Vida vazia, sem graça por falta da Graça que traz significado a nossa existência.

O que seria correr atrás do vento?

Vida que faz do trabalho a vida, que faz do dinheiro o maior bem da vida, que não percebe que as maiores alegrias da vida estão na simplicidade do dia-a-dia.

Correr atrás do vento é também não discernir a própria vida na utilidade que ela deveria ter no Corpo de Cristo e na sociedade.

Correr atrás do vento é mais do que passar e não ser percebido, é passar e não perceber o que precisaria de um investimento especial.

Enfim, correr atrás do vento num acumulo de insensibilidade, falta de investimento nas prioridades, não valorização da simplicidade, e vida que não se satisfaz em Deus e sim nas coisas, gera inevitavelmente tristeza, dor e morte.

E então? Você está se matando como aqueles que engolem nicotina? Torne a sua vida útil aos outros e dependente do Criador.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Solidão

"Loneliness is when you are alone but you don't want to be". Hoje um professor compartilhou esse ditado inglês. Ele fala sobre a falta de opção entre estar sozinho ou não, por isso "solidão é quando você está sozinho, mas você não quer estar".

Por que tem sentido? Porque estar sozinho por opção é maravilhoso. "Tire" por uma tarde sozinho quando você pode escolhe um tempo de solitude ao se retirar pra esse fim.

E se não tem opção? Você deve buscar caminhos para encontrar "gente boa de Deus", ou encontrará caminhos perigosos, armadilhas, compensações nocivas. 

O cigarro, a pornografia, o sexo virtual, as drogas, a bebida etc são ilusões de companhia. Parece que você está resolvendo a falta de alguém, mas tudo se tornará ainda pior, você ainda mais vazio.

Busque caminhos onde tem gente, gente que valha a pena. Busque caminhos onde Deus está. Busque caminhos onde o Evangelho se manifesta como direcionador dos melhores caminhos. 

sábado, 11 de outubro de 2014

O que você deve fazer com uma VISÃO?

O que você deve fazer com uma visão?

Bom. Se você já sabe de onde ela vem, é mais fácil. Se há plena convicção de que ela vem do Senhor, os próximos passos precisam ser dados.

O problema, o grande problema, é quando você não sabe ao certo de onde ela vem. A dúvida é coisa negativamente séria.

Mas, o que fazer se não se sabe?

Gostaria de partir das considerações que ouvi ontem numa reunião caseira de líderes: "Quem disse que o nosso desejo e decisão pessoais não podem ser de Deus? As duas coisas podem andar juntas, e elas podem ser a mesma coisa". 

Qual o problema em agirmos de acordo com uma inclinação do coração se tudo é para a glória de Deus e não estamos negociando princípios?

De repente, você ao ouvir isso, poderia me antecipar: "Opa, para por aí. O coração do homem é desesperadamente enganoso." 

É verdade. Por outro lado, não podemos ficar patinando em questionamentos, se devemos ou não, se - em especial - a "matéria" é: "Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho".

O fato é: precisamos agir de acordo com aquilo que estamos enxergando. Precisamos ser coerentes com as nossas inclinações, precisamos dar passos com aquilo que queremos.

E se lá no final ficar claro que não é Deus? Aí você para tudo. Desvia o foco. Re-planeja e vai em outra direção. Mas, se hoje a direção é essa - a única que traz paz - você precisa caminhar.

Vamos lá? Quais os próximos passos? Vamos agir de acordo com o que queremos e acreditamos ser para a glória de Deus?

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Eu não estou iludido com o Aécio e sei o que é o PT


Eu não quero aqui fazer apologia ao Aécio Neves. Não acredito que ele seja o salvador da pátria. Não acredito que ele vai conseguir arrumar a casa num passe de mágica, mas faço questão de me posicionar contra a ditadura e o comunismo.


Quem conhece um pouquinho da história da ex-URSS, e acompanha a herança vermelha (nos dois sentidos) que Hugo Chaves deixou na Venezuela bem como a situação retrógrada e de miséria que vive Cuba, apoiaria o comunismo somente se desprovido de bom senso.

Quem levanta a bandeira da democracia, da liberdade religiosa, de um país forte a partir do trabalho e não de cestas que alimentam a ociosidade e a criminalidade, não tem o direito moral, cívico e ético de apoiar qualquer movimento que favoreça os princípios do comunismo.

Nessa reta final eu me posiciono não porque sou Aécio, mas porque não sou comunista. Eu me posiciono não porque o Aécio vai consertar, mas porque não quero mais o PT estragando. Eu me posiciono porque muito do pouco que tem de bom nesse governo é herança de FHC. 

Que Deus abençoe o Brasil porque a minha esperança não está no homem, mas contra todo homem que faz mal e no Senhor que só bem nos faz.

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Saia dos seus limites

Não acredito que alguém possa crescer se permanecer sempre no mesmo lugar, com as mesmas pessoas, com as mesmas vivências. Também acredito que há algumas maneiras de sair dos próprios limites, de sair do mesmo lugar.

A família onde fomos formados, a cidade que nos acolheu, o povo com quem andamos, naturalmente nos impõe limites culturais. "Somos o que comemos!"

Por outro lado, podemos transpor os limites que castram a nossa visão assim:

Leia bons livros, bons autores.

Leia biografias.

Leia breves reflexões.

Viaje de férias.

Viaje a trabalho.

Conheça lugares diferentes, ainda que mais simples.

Acredite que coisas nobres podem estar escondidas nas pessoas muito diferentes de você.

Acredite que as pessoas mais simples têm a ensinar.

Pare para ouvir pessoas mais velhas, especialmente idosos.

Estude. Não pare de estudar nunca.

Enfim, saia do seu conforto limitador. Arrisque e se incomode. Seja melhor a partir de outras vivências e se sinta desafiado a "salgar" aqueles com que você senta todo dia.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

A Pregação pode sugerir um raio-x da Igreja

As 7 Cartas às Igrejas do Apocalipse se constituem numa mensagem dada ao Anjo da Igreja. Em todas elas, Jesus fala ao Anjo (gr. "mensageiro") para que ele repasse à Igreja.

O que Jesus fala? Ele pontua qual é a situação espiritual da Igreja sob a perspectiva coletiva, de Corpo, que Ele tem da sua Igreja (local).

Será que a Igreja de Laodicéia não tinha nenhum crente fiel? Será que Filadélfia não tinha nenhum crente infiel? Naturalmente. Mas, a mensagem não é sobre a situação particular de nenhum membro. 

A Palavra de exortação (incentivo, consolo, alerta, reprovação) contempla a condição da coletividade.

E a pregação, portanto, pode sugerir o Jesus acha da Igreja local.

O que "vira-e-mexe" tem sido pregado, insistido... na vida da Igreja que você é parte? Ou o seu Anjo não estaria discernindo bem "o que o Espírito diz às Igrejas"?

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Deus se ocupa com certos detalhes da nossa vida?

Hoje fui confrontado pelo Espírito a descansar no Senhor frente a uma preocupação que estava me desafiando a agir quando ainda seria tempo esperar, ou no máximo me preparar.

O que ele me fez perceber foi que havia dois problemas nisso. Dois problemas. Eu pensei que fosse apenas um.

Um grave problema foi a falta de confiança no amor e no cuidado do Senhor.

Outro gravíssimo problema foi que eu estava sendo ingrato. Sim ingrato diante dos degraus que já subi. 

É assim que acontece quando a nossa preocupação engole a nossa esperança. E outros problemas decorrem daí...

Sensação de estar sozinho, desesperança, abatimento, tristeza, falta de motivação etc.

E então? Melhor é confiar amor cuidadoso do Senhor, inclusive nos detalhes mais ínfimos e pífios que pareçam ser.

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

A diferença entre Evangelho Eterno e Evangelho da Graça

Por que a expressão “Evangelho Eterno” e não simplesmente “Evangelho”? Qual a diferença entre Evangelho Eterno e Evangelho da Graça?
“Então vi outro anjo, que voava pelo céu e tinha na mão o evangelho eterno para proclamar aos que habitam na terra, a toda nação, tribo, língua e povo.” (Ap. 14:6)
Nesse período anjo evangeliza? Eles então podem fazer o que sempre desejaram? “A eles foi revelado que estavam ministrando, não para si próprios, mas para vocês, quando falaram das coisas que agora lhes foram anunciadas por meio daqueles que lhes pregaram o evangelho pelo Espírito Santo enviado do céu; coisas que até os anjos anseiam observar.” (1 Pe. 1:12)
O primeiro passo é observar que tipo de proclamação é essa. Seria uma proclamação para a salvação? Não. Então não é o Evangelho da Graça pregado pela Igreja. É o Evangelho próprio da Grande Tribulação.
O Evangelho Eterno é uma proclamação de juízo: “Então vi outro anjo, que voava pelo céu e tinha na mão o evangelho eterno para proclamar aos que habitam na terra, a toda nação, tribo, língua e povo. Ele disse em alta voz: "Temam a Deus e glorifiquem-no, pois chegou a hora do seu juízo. Adorem aquele que fez os céus, a terra, o mar e as fontes das águas".”  (Ap. 14:6-7)
O Evangelho Eterno é uma proclamação de reconhecimento do juízo sobre a Babilônia: “Um segundo anjo o seguiu, dizendo: "Caiu! Caiu a grande Babilônia que fez todas as nações beberem do vinho da fúria da sua prostituição!" (Ap. 14:8)

O Evangelho Eterno é uma proclamação de alerta contra a Besta: “Um terceiro anjo os seguiu, dizendo em alta voz: "Se alguém adorar a besta e a sua imagem e receber a sua marca na testa ou na mão, também beberá do vinho do furor de Deus que foi derramado sem mistura no cálice da sua ira. Será ainda atormentado com enxofre ardente na presença dos santos anjos e do Cordeiro, e a fumaça do tormento de tais pessoas sobe para todo o sempre. Para todos os que adoram a besta e a sua imagem, e para quem recebe a marca do seu nome, não há descanso, dia e noite". (Ap. 14:9-11)
Enfim, vamos pregar hoje o Evangelho da Graça para a salvação dos perdidos porque um dia o foco não mais será a oportunidade, mas apenas o juízo. Nesses dias, os homens andarão errantes de um canto a outro, com fome e sede não de comida nem de água, mas da Palavra, procurando a oportunidade que já passou e não mais a encontrarão (Am. 8:11)