Sinta-se Em Casa

Entre. Puxe a cadeira. Estique as pernas. Tome um café, e vamos dialogar com a alma.



terça-feira, 17 de setembro de 2013

Tributo a Jethro Canuto

Eu conheci esse "homem de Deus" há mais de 20 anos atrás quando ainda era um seminarista. Aliás estava ainda no meu primeiro ano e ele era Secretário de Atividades Ministeriais da UIECB. Ele desenvolveu um projeto de oportunidade aos seminaristas: cada um deveria pregar em uma igreja diferente ao menos uma vez por mês. De lá pra cá nunca mais parei. Ali encontrei o meu perfil ministerial de abençoar outras igrejas locais, o que faço até hoje.

Essa não foi a maior bênção. O que ele deixou mais? Um homem idôneo e irrepreensível e também culto em sabedoria.

Gostava de ouvi-lo e fazia ele menção de poemas da literatura em suas pregações. Hoje eu faço o mesmo, inclusive me graduei em Letras. Bom exemplo é pra ser imitado e não apenas admirado!

Há cerca de 3 anos atrás ele sofreu um acidente  e quebrou o fêmur. Tive o privilégio em vê-lo pela última vez. Quando cheguei ele estava acamado. Fazendo o quê? Lendo. E com um espírito jovial e alegre fazia as suas considerações da revista que lia. Não era uma revista de Escola Bíblica. Era uma revista comum. Ele sabia apreciar a vida amando a Deus.

Sorrimos um pouco, aprendi com as suas considerações e então eu, o Pr. Sebastião Anacleto, ele próprio e sua esposa, cantamos e participamos da última ceia, juntos.

Obrigado Senhor porque conheci um modelo pra eu ver Jesus e segui-lo.

(Obs.: Alguns leram essa postagem e destacaram a lembrança do sorriso constante e também as visitas que fazia. Sempre com muita simpatia. Marcas de sua personalidade e ministério, e postura que muitos pastores tem perdido).

7 comentários:

  1. Obrigado por suas palavras, sei que a dedicação e o exemplo de meu pai foram positivos para diversas pessoas e isso se materializa através de suas palavras.

    Jair Canuto A Albuquerque

    ResponderExcluir
  2. Este pastor foi Pastor de minha infância na IEC de V.Medeiros, com ele aprendi o respeito devido a um Pastor, aprendi o que era verdadeiramente um culto de oração e culto de doutrina onde aprendiamos lendo a Bíblia e oravamos ajoelhados, tinha sempre um cantinho na casa do meu pai para o Reverendo repousar, almoçar aos domingos, o assento de meu pai à mesa era oferecido ao Reverendo em sinal de respeito e assim convivi com aquele sorriso e sabedoria minha infância e começo de adolescência, vou guardar seu exemplo.
    Miriam Simões

    ResponderExcluir
  3. Obrigado por suas palavras.de fato meu pai foi um homem admiravel em todos os perfis.sua capacidade,seu conhecimento,sua maneira de ser com toda aquela simpatia fazia dele um homem que refletia a presença de Deus. Louvo a Deus pela vida exemplar de meu pai.Todos nós,seus filhos,nossa mãe e todos os demais parentes temos muito orgulho dele.De fato um homem formidavel.

    Jesimiel Canuto Alves Albuquerque.

    ResponderExcluir
  4. Encontrei casualmente este Blog e não posso deixar de expressar minha gratidão pela vida do Pr. Jethro Canuto.
    Em 1978, mesmo sendo de família evangélica, eu ainda não tinha me decidido por seguir a Jesus, e estando prestes a me casar com uma jovem ateia, para a qual não fazia a menor diferença se casar ou não em uma igreja, com os meus 20 anos de jovem inexperiente ousei falar com Pr. Canuto expondo a situação e desejando que ele nos casasse na pequena igreja Congregacional Paulistana, (na Rua Cesário Alvim, Belenzinho). Eu me lembro que ele lá de cima da sua estatura me olhou e coçou a cabeça, por fim depois de algum tempo me disse: "Nós não casamos ninguém, isto o Cartório faz, nós abençoamos... E assim sendo como eu poderia deixar de abençoa-los?" Hoje, depois de conhecer as estruturas denominacionais e passar pelo campo missionário e pastorado, compreendo a coragem e a atitude deste homem de Deus que, se agisse institucionalmente, jamais nos casaria, pelo simples fato de não ser nenhum dos nubentes sequer crentes convertidos, ou membros da igreja.
    Pois bem, graças ao amor deste homem de Deus, em 14 de Julho de 1978 houve um grande culto (2 horas de duração) e neste culto, nos casamos Irene e eu. Muitos amigos, igreja lotada com gente para fora, e meus familiares às dezenas, quase todos afastados do evangelho, inclusive meus pais, pouco depois disto começaram a retornar para suas igrejas e lá permaneceram, meu pai ingressando no ministério assim como meus outros três irmãos cada qual a seu tempo.
    A jovem ateia (minha esposa Irene) se converteu antes de mim, em um culto a tarde junto com minha mãe em uma igreja Assembleia de Deus, eu um pouco depois. Nos batizamos logo em seguida na Congregação Cristã no Brasil Brás, e de lá ficamos na Igreja Batista Independente de Vila Carrão até 1983, quando saímos para o campo missionário (Vilhena-RO) para abrir um orfanato. A jovem Irene, ex ateia, cuidou de mais de 300 orfãos e criou ainda dois filhos adotivos com muito amor e carinho. Fomos separados para o pastorado em 1985, como pastor auxiliar do Rev, Rubens dos Santos (Church of God in Christ) e auxiliares de capelania no Presidio do Carandiru (1981-1983), sempre trabalhando com ação social, e somente assumindo o pastorado de igreja em 2011, por meio da Igreja O Brasil para Cristo, a qual servimos atualmente em Sorocaba, SP.
    Mencionei tantas denominações e ainda cito dois anos que estivemos na Igreja Presbiteriana de Mauá, para tipificar aqui a beleza do Reino de Deus, que não tem fronteiras denominacionais, mas que conta com homens de Deus como o Pr. Jethro Canuto, que simplesmente coçam a cabeça, ouvem o Espirito Santo em seus corações e fazem a vontade específica de Deus para aquele momento de suas vidas nesta terra.
    Meus amigos de adolescência, amigos do coração, irmãos, como o Jesimiel que me é mais próximo e os menores que foram mais próximos de meu irmão Amaury, devido a diferença de idade. Gratas lembranças e muitas saudades.
    Que Deus seja em nossas vidas assim como com Pr. Jethro Canuto.
    ir.Daniel

    ResponderExcluir
  5. Ops... esqueci de mencionar as deliciosas Tapiócas que saboreei naqueles tempos na casa do Pr Jethro Canuto...

    ResponderExcluir
  6. Pr. Daniel muito interessante. Isso me fez pensar.

    ResponderExcluir
  7. Tive o prazer de conhecê-lo e de cultuarmos juntos ao Senhor várias vezes. Foi um exemplo pra mim e por isso louvo a Deus por sua vida. Seus filhos, Jair e João Jether,são reflexos de seu ministério, atuando como presbíteros na casa do Senhor.
    Parabéns pela homenagem Vacilius.

    ResponderExcluir