Sinta-se Em Casa

Entre. Puxe a cadeira. Estique as pernas. Tome um café, e vamos dialogar com a alma.



sexta-feira, 30 de novembro de 2012

A Esposa do Pastor

Quem é a esposa do pastor? É aquela mulher de carne e osso, que um dia Adão sobre ela falou, o mesmo que os pastores devem falar hoje: "Essa é osso dos meus ossos e carne de minha carne" (Gn. 2.23).

Eu já ouvi pastores afirmando que eles se casaram com a Igreja. Isso é adultério espiritual duplamente qualificado, pois seria traição à própria esposa e também à Jesus. Afinal, a Igreja é a Noiva de Cristo. A futura já definida esposa do Cordeiro (Ap. 19.6-8).

Então, os pastores devem cuidar primeiramente de suas esposas e depois cooperar no cuidado da Igreja, que é esposa de Cristo.

Os pastores que desprezam as suas esposas sem discernir a vida comum do lar, negando-as  a provisão material, emocional e espiritual estão desqualificados a cuidar da Igreja.

Portanto, a Noiva do Cordeiro, a futura esposa, só pode ser cuidada por aqueles que sabem o que é cuidar de sua própria esposa.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Já Acabou! E Agora?

Você já ouviu a metáfora da bacia de jabuticabas?  Ela estava nas mãos de um garoto que as chupava despretensiosamente. Distraído não deu valor e quando percebeu que estava acabando... Passou a devorá-las desesperadamente. E à medida que percebia que acabava roía o caroço.

2012 já acabou e talvez dê ainda para roer o caroço, mas não deixe que 2013 se torne a vasilha quase vazia de jabuticabas, oportunidades não aproveitadas, meros caroços de compensação do que novamente foi adiado.

Chupe as jabuticabas da vida devagar, bem devagar. Não tenha pressa. O ano passa. E quando você corre, ele voa mais rapidamente ainda.

Aproveite cada momento. Curta os seus queridos. Não olhe para o relógio quando estiver num momento de oração e meditação. Deleite-se em ouvir quem precisa. Olhe nos olhos. Sente-se para compartilhar. Faça com zelo o que se propor a fazer. 

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Tal Como Estou Me Apresento

Alegre e agradecido por incontáveis bênçãos e com um senso de quem desfruta da graça o tempo todo.

Ao mesmo tempo: cansado de algumas lutas, desgastado pela rotina, com a alma assentada e sem querer levantar, com algumas chateações também, muitos questionamentos, dúvidas etc etc etc. 

Ah! E uma vontade redbuliana de voar, voar, voar. Não definitivamente. Mas, pra algum lugar que fosse outro.

Que bom saber que posso me apresentar assim aos pés do Altíssimo. Eu não preciso esconder nada. 

Quem bom saber que os céus não podem contê-lo e que contraditoriamente habita num coração quebrantado.

Eu não preciso me refazer, me ajeitar, me justificar, oferecer desculpas, nem preciso me envergonhar das minhas perturbações. 

O Eterno me conhece. 

Então me apresento... E depois sou outro, porque a graça me alcança e me renova todos os dias.

sábado, 24 de novembro de 2012

Hoje Tudo Se Vende

Essa foi a reportagem principal da semana. Uma garota que vendeu por milhões a sua virgindade. Alguns pensam assim: "Esperta foi ela. Hoje só se dá. Ele ao menos vendeu".

O que mais se vende? Vende-se órgãos vitais para a sobrevivência.

Vende-se crianças e lindas garotas, e garotos também.

Vende-se a vida para uma organização criminosa através de uma penhora que permite a pena de morte se não cumpridas as contingências. 

Vende-se até a possibilidade de ressurreição científica "a posteriori" ao próprio congelamento. E olha que tem gente pagando caríssimo!

Em todos esses níveis e interesses há o tráfico. Clandestinamente gente "séria" e abastada negocia e compra.

Por quê? Porque o critério não é a sobrevivência nem o sustento, mas a ambição maligna e avarenta de ter, ter e ter em detrimento do ser. 

Não é só. Há também  a arrogante soberba de quem se vê como um deus e pensa que pode dominar a tudo e a todos. Como se não estivesse sujeito ao juízo vindouro.

No caso da venda da virgindade é natural para quem não sabe que foi comprada por um alto preço e que por isso não se pertence mais, senão àquele que a comprou com o Seu próprio sangue (1 Co. 6.19-20).

É sobretudo o vazio eterno de quem não tem a plenitude de Deus, pois Ele mesmo ao criar o homem, em seu coração colocou a eternidade (Ecl. 3.11). O que pode saciar a eternidade? Nada desse mundo; somente o Eterno.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Black Friday

Que mania a nossa de copiarmos tudo o que acontece lá fora e então americanizamos algumas práticas e achamos que estamos no mesmo nível.

A chamada "Black Friday" nos Estados Unidos traz produtos com até 90% de desconto. A nossa imitação aqui é paraguaia. Achamos sim produtos bem mais baratos, mas nem com 70%  de desconto. Bom falto dos itens que procurei: passagens aéreas e games.

Assim acontece em todas as outras áreas. Não nos preparamos para imitar à altura da excelência. Talvez as únicas coisas que imitamos bem são as coisas que não prestam. Nessas os brasileiros vão além.

Somos brasileiros. Somos inteligentes, criativos e capazes. Talvez o problema é que cantamos "deitados eternamente em berço esplêndido" e achamos desde sempre que devemos ficar esperando o que vem de fora numa postura não só de receptividade, mas de dependência.

A Literatura conta que assim foi desde o Descobrimento (ou Invasão). E continua dessa forma inclusive nas Igrejas. Até as invencionices que ferem a sã doutrina são mais interessantes que a simplicidade do Evangelho, quando lá de fora vem. 

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Se Cuide Pra Lutar Melhor!

Quanto tempo mais temos de luta? Se entendermos as lutas como parte da vida, temos a vida toda pra lutar. 

E se particularizarmos as lutas? Aquela luta específica que você passa. Aquele que você espera que termine ontem. Ela perdura e a cada busca de Deus numa expectativa de que Ele colocará ponto final a qualquer momento. A sensação de que está longe a vitória, mas de que muito se precisa dela o quanto antes.

E se durar por mais algum tempo? E se a resposta de Deus for: "A minha graça te basta"?

Nesse caso você necessita estar bem pra lutar. Tem de se cuidar. Cuidar do seu coração. Cultivar mais dependência de Deus. Não se permitir o descontrole, o desespero, a murmuração, a desesperança, a angústia de quem pensa estar sozinho na luta.

Até porque se a luta perdurar é melhor estar em pé que entrevado e sem condição de batalha.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Irmãos Menonitas

Conheci um menonita (Reginaldo Zen) que me contou um pouco de sua própria história, afinal ele é um irmão menonita. Se entendi bem, foi isso que anotei:

Eles surgiram na Holanda com um ex-padre Menno Simons dentro do movimento dos anabatistas.

Mais tarde foram para a Alemanha de onde herdaram a cultura de colônia. No entanto, hoje há esforços para que não se fechem, mas  cumpram a obra missionária.

Já na Rússia, com a revolução comunista, eles definiram uma postura protestante e pacificadora ao mesmo tempo.

Da Europa chegaram no Canadá e na América e depois chegaram ao Paraguai e ao Brasil. Eu particularmente os conheci no Chaco Paraguaio. Eles vivem lá como uma colônia alemã. Tem empresas, escolas e hospitais próprios.


Há também um grupo que "congelou" na história (são os "Amiash"). Eu particularmente conheci um grupo em Santa Cruz na Bolívia que vivia como se estivesse em séculos passados. A maioria não é assim.

Os menonitas hoje se definem como protestantes históricos. Eles têm a Bíblia como única fonte de revelação. E são pacifistas. Jamais se envolveriam numa guerra. Inclusive há histórias de menonitas que morreram para que não matassem. 

Enfim, vale a pena conhecer um grupo de irmãos comprometidos com a Palavra e com a Paz.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Puxadinho

Li "O Cortiço" de Aluísio Azevedo. Tudo começou com alguém que possui um espaço suficiente para dividi-lo uma vez,  outra vez, e outra ainda até que num lugar que caberia um, agora cabem muitos.

Os nossos pais conquistaram seu espaço e surgiu hoje uma geração que não foi educada para, responsavelmente, ir à luta. Historicamente, nossos pais vieram de fora do país ou de um interior pobre e limitado, e tiveram que se sujeitar a uma vida dura. E então conseguiram vencer.

O que tem acontecido muito? Eles dividem o que tem conosco. O patrimônio da família empobrece ou deixa de crescer. E muitos se casam e tem filhos de maneira não planejada, e consequentemente todos se sujeitam a morar juntos. Quantas complicações nascem aí.

Se essa geração não acordar os filhos dos filhos e os filhos dos filhos dos filhos se encontrarão em sérias limitações e confusões porque aquela velha casa de nossos pais, amanhã ocupará pelo menos três famílias ou quatro.

E o que acontece num "lugar cortiço"? Muitos desentendimentos, inúmeras histórias de injustiça, de abuso, de traição etc.

Oh! Geração de nossos pais, acorde enquanto é tempo! Saiam à luta, trabalhem e tenha suas próprias casas para que ao lerem "O Cortiço" não se vejam ali.

O que Você Está Deixando?

É melhor falar das coisas que temos feito. Elas revelam uma face amistosa, amiga, guerreira, precavida, esperançosa... Preferimos omitir as coisas ruins sobre nós mesmos. É até uma forma de auto-defesa.

Jesus sabe dessa tendência e por isso mencionou as coisas boas que os fariseus realizavam: o dízimo do hortelã, do endro e do cominho, mas especialmente destacou o que eles deixavam de fazer: seguir a justiça, a misericórdia e a fidelidade (Mt. 23.23).

O que você tem deixado de fazer em sua casa? Casa parede, casa família.

O que você tem adiado como cônjuge? 

O que tem negligenciado como pai ou filho?

E como servo de Deus? O que tem deixado pra depois?

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

15 de Novembro e os Sertões entre Nós

Euclides da Cunha detalhou os esforços do governo de Marechal Deodoro da Fonseca para combater a revolta de Antônio Conselheiro nos sertões da Bahia. Esforços que duraram muito tempo e custaram inúmeras vidas. 

Estrategicamente os homens de Antônio Conselheiro expunham em árvores as cabeças decepadas de soldados que pertenciam a grupos anteriores já derrotados. Foi uma guerra, a Guerra dos Canudos.

Antônio Conselheiro, figura messiânica, definia a República como coisa do diabo e para ganhar o povo denunciava a malignidade dos impostos sob a constante e repetitiva declaração: "Bendito seja o nosso Senhor Jesus Cristo". Ele construiu uma cidade fortificada que resistiu a algumas incursões do Exército, quando já sem recursos básicos finalmente amargou a derrota e a morte.

Parece que nada temos a ver com os Sertões e a Guerra dos Canudos. Afinal, pudemos descansar no dia da Proclamação da República. Mas, infelizmente se instalou um outro tipo de guerra. A guerra entre criminosos e policiais. E o povo novamente sem saída.

A situação dos Sertões se renova nos inúmeros impostos cobrados impiedosamente. 

E como se não bastasse muita gente boa e ingênua tem sido alvo da crueldade de charlatões que também se escondem como Antônio Conselheiro atrás de uma aparente espiritualidade que remete ao "Bendito seja o nosso Senhor Jesus Cristo".

À todos que hoje agem malignamente contra o povo esperamos que se convertam de seus maus caminhos ou terminem como Antônio Conselheiro.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Armadilha na Ilha Grega de Ithaca

A Odisseia de Homero conta a história da figura mítica de Ulisses. Depois do impressionante Cavalo de Tróia eles navegaram até chegar à ilha de Ithaca onde os soldados de Ulisses comeram sem discernimento uma frutinha doce que os nativos ofereceram. Aquela frutinha avermelhada era alucinógena. Eles gostaram tanto que perderam a perspectiva da caminhada, da volta pra casa. Ulisses, inteligente que era, só observou.

A lição de Homero é que na caminhada, de volta pra casa, podemos ser ludibriados. Se não os perigos da guerra em si, nem as doenças, nem os mares revoltos podem ser as experiências extasiantes. 

O que essa parada da Odisséia nos lembra?

Estamos voltando pra casa. O Paraíso nos espera. Jesus está voltando. Cremos na iminência da Parousia, mas corremos o risco de sermos desviados do Alvo da soberana vocação em Cristo.

Qual tem sido a sua "frutinha avermelhada"? Cuidado se você está na caminhada de volta para o Lar.

O Abismo da Superfluidade

A minha sala de repente está envelhecida. Parece até antiquada e arcaica. Culpa da minha TV. Ela ainda tem aquele tubo atrás dela. E para não parecer retrógrado eu aviso: "Ainda vou comprar uma LCD,  que na época também já estará ultrapassada".

Não faz muito tempo que a febre na Igreja era a tão impressionante TV de Plasma. Muita gente comprou. Não demorou muito e muitas casas já tinham a TV de LCD. E agora...

Esse é um dos fenômenos de nossa época: a superfluidade. Aquilo que é supérfluo, não prioridade, ganha espaço e o conceito de envelhecimento se modificou. Tudo envelhece muito rapidamente

Há uma problemática séria: o desafio quase que diário de acompanhar as novidades. E sob o prejuízo de um orçamento equilibrado. 

Comprar porque "todo mundo" está comprando? Comprar  e se endividar em muitas parcelas? Comprar e deixar de honrar os compromissos, inclusive com o Reino de Deus? Comprar para não dar impressão de velharia e se modernizar na vaidade? Comprar e adiar as coisas mais básicas do bem viver?

Comer bem, morar melhor, contribuir na expansão do Reino e viver tranquilamente devem vir primeiro que os enganos da superfluidade.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Graça Sim, Libertinagem Não

Música suave, todos de olhos fechados e frases convidativas para atrair quem ainda não se decidiu por Jesus. O próprio Jesus faria diferente. Ele fez diferente.

"Se alguém quiser me seguir considere o que terá que deixar. Assim como ninguém entra numa construção nem numa guerra sem fazer cálculos é melhor ponderar as implicações de me seguir" (Lc. 14.25-35).

E olha que Jesus fala isso logo depois da Parábola do Grande Banquete onde sugere que agraciados não são os convidados especiais - porque sempre há algo mais importante pra eles - mas sim, aqueles que não podem participar e de repente são levados a.

Vamos parar de ficar fazendo promessas e convites facilitadores para que as pessoas venham pra Jesus. Até porque se vierem assim serão mimados e não terão a visão de Reino dos Céus.

Temos que expor claramente o Evangelho e dizer que aquele que desfruta da graça também tem um preço a pagar.

Afinal, a graça é graça porque Jesus pagou o que ninguém poderia pagar, não porque podemos deixar de pagar o preço da renúncia que nos cabe.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Maconha e Casamento Gay

O Estado Americano do Colorado aprovou a liberação da maconha e Washington o casamento gay. 

E a Igreja com isso? 

Primeiro é entender que o mundo jaz no maligno (1 Jo. 5.19). 

Depois, a compreensão de que somos o sal da terra e luz do mundo (Mt 5.13-16). E que nessa condição somos embaixadores do Reino para por em liberdade os cativos e oprimidos do diabo (Is. 61.1-3).

Não temos que "pirar" nem nos surpreender com as coisas desse mundo. Importa não nos conformar a ele (Rm. 12.1-2).

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Se Ela Faltar, Falta Tudo

Ser grato por coisas simples é fundamental para uma vida melhor. Sabe por quê? As coisinhas mais simples são aqueles que trarão grande transtorno quando não dão certo. 

As coisas mais simples da vida são muito importantes.

Escovar os dentes é coisa simples, desde que não falte a pasta.

Ir ao trabalho é coisa simples, desde que não falte gasolina ou passe, e o próprio trabalho.

Dormir é coisa simples, desde que não nos falte o sono ou tenhamos onde dormir.

Ler é mais uma desta coisas tão simples, desde que não nos falte a visão ou o óculos e principalmente a vontade ou a disciplina de ler.

Beber água é coisa muito simples, desde que ela não nos falte.

Um abraço é coisa simples demais, a não ser que nos falte quem nos ama e a quem amamos.

Respirar é simples, salvo se não temos problemas pulmonares.

Sorrir é simples, desde que não nos falte a gratidão, o prazer de celebrar.

Caminhar é simples demais, desde que tenhamos pernas e coragem pra andar.

Mas, caminhar na vida não é coisa tão simples assim, e por isso precisamos da simplicidade de uma vida com Deus e de serviço ao próximo.

Enfim, faz muito bem a gratidão, o reconhecimento de que as coisas mais simples da vida são tão importantes que se nos faltar, falta tudo. 

sábado, 10 de novembro de 2012

O Canto do Cisne

O canto do cisne lembra o Hino da Marinha:

Qual cisne branco que em noite de lua
Vai deslizando num lago azul.
O meu navio também flutua
Nos verdes mares de Norte a Sul

Linda galera que em noite apagada
Vai navegando num mar imenso
Nos traz saudades da terra amada
Da Pátria minha em que tanto penso.

Seria interessante refletir essa canção. Aliás, a alegria melódica e esperançosa dela me lembra o que John Piper, em Alegria Soberana, fala sobre o canto do cisne, de outro cisne...

Em 1415 John Huss ao ser queimado numa fogueira, em defesa das Escrituras, num período pré-reforma profetizou: "Vocês podem queimar o ganso, mas não poderão calar o canto do cisne".

Depois de 100 anos Martinho Lutero se colocou como o cumprimento dessa profecia. Naquele tempo Huss (na língua theca "ganso") foi calado, mas agora Lutero teria toda liberdade.

O canto do cisne é uma mistura de sofrimento com alegria de quem cumpre a sua missão. A sua vida lembra esse engajamento dna luta cristã?

De Um Cisne que Canta Longe de Casa Nesse Final de Semana (São José dos Pinhais - Curitiba).

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Seja Diferente de Você Mesmo

Eu "puxei" um pouco pro meu pai e um pouco pra minha mãe. Em muitas coisas gosto de me parecer com eles. Mas, tem algumas coisinhas que não aprecio.

Ontem eu reagi a uma situação e me lembrei do meu pai. Ele também reagiria assim, provavelmente. E então pensei: "Isso é coisa do meu pai". Logo em seguida fui corrigido na minha interioridade: "Isso não é coisa de seu pai. Isso é coisa de você mesmo".

Aí pensei: "Eu preciso ser diferente de mim mesmo". Agora sim. A melhora e até transformação pode acontecer quando assumimos incondicionalmente as nossas fraquezas sem justificativa alguma.

Eu sou tal como sou por causa de mim mesmo. Eu sou responsável pelo que sou, diante de Deus.
 

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Irritabilidade e Evangelho Não Combinam

Hoje me lembrei de alguns momentos, vários, de irritabilidade. Vivia numa correria frenética e passando por cima de valores e princípios que me levavam a viver em contradição.

Contradição? Sim. Por que irritabilidade não combina com o Evangelho. O que é o Evangelho? É a vida de Jesus escrita para ser lida e imitada.

O que encontramos no Livro que expõe a vida de Jesus? Ele mesmo responde: "Aprendei de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso." (Mt. 11.29)

Quem bebe de Jesus aprende a ser como ele e o resultado prático é descanso. Vida sem aquela freneticidade toda.

Trabalho duro sim, só trabalho não.

Vida ocupada sim, vida pré-ocupada não.

Muita energia sim, choque de irritabilidade em quem está por perto não.

Enfim, a vida em Cristo e no Evangelho não combina com desespero, correria impensada, correr atrás do vento passando por cima das pessoas que você ama, conquistar sob as duras penas de negociar a paz, cumprir rigorosamente uma agenda como se você existisse sozinho, se planejar como se a vida se ressumisse em suas metas particulares. Nada disso combina com o Evangelho.

Pare de se parecer com o coelho do país das maravilhas e se pareça mais com Jesus.

Desencontros

É próprio do homem, e bom, o planejamento. E como parte do planejamento vem o combinado. Mas, na caminhada muitos planos se frustram. E então precisamos achar os culpados.

Entendo que alguns planos e combinados se frustram porque não deveriam mesmo dar certo. Não é porque houve uma falha. Ninguém errou. Alguém que tenha errado, não se constituiria na razão do fracasso. É porque não era pra ser. E só vamos entender mais tarde, ou não.

Assim como a morte, a morte dos planos sempre tem uma desculpa. E pouco entendemos que quando chega a hora de morrer, simplesmente se morre. Não é porque alguém matou ou porque aquela doença... É porque chegou a hora mesmo.

Por outro lado, tem planos e combinados, assim como algumas mortes, que são tragicamente precoces e fruto de erros capitais. A vida deveria continuar, mas não continuará porque alguém errou feio mesmo. Aqui temos outra situação.

Que tal entendermos com mais maturidade os desencontros da vida. Eles também precisam acontecer porque senão Deus não seria soberano na escrita de nossa história.

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Inundados por Ele

Estiagem. Seca. Sequidão. Deserto. Pouca água. Nenhuma água. Sede absurda. Desespero profundo. É o que Davi sentia por Deus. Muita sede de Deus (Sl. 63).

A sede de Deus quando não compreendida pode ser canalizada às miragens. A promessa de saciedade que elas trazem é falsa. Se a sede é de Deus não será o dinheiro, o sexo, o status quo, as conquistas e promoções pessoais, aquele passeio, aquela paixão.

A sede de Deus só nele pode ser saciada. Jesus falou que todo aquele que tem sede deve ir a ele porque a partir dele, e naquele que crê, fluirão os rios de águas vivas (Jo. 7.37-39).

E quem já bebeu deve se encher, ser pleno, ser inundado, mergulhado, envolvido, consumido, encharcado... por esse amor.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

O Mundo Jaz no Maligno

É bíblico: "O mundo jaz no maligno" (1 Jo. 5.19). Mensalão, ataques covardes aos policiais, vingança impiedosa, crianças sendo abusadas. É melhor parar com a lista porque não pára de revelar o quanto o mundo está mergulhado no maligno. Não quero que esse blog se torne uma extensão de programas sanguinolentos.

Mas, há uma esperança para quem em Deus espera. 

É bíblico também: "A minha alma descansa somente em Deus; dele vem a minha salvação. Somente ele é a rocha que me salva; ele é a minha torre segura! Jamais serei abalado! (Sl. 62.1-2).

Nesses tempos de angústia e temores fica bem colocarmos a nossa esperança e confiança no Senhor.

sábado, 3 de novembro de 2012

O que Realmente Vale a Pena?

Não vale a pena negociar a essência da vida, o néctar das flores, o favo de mel, o perfume dos campos, as águas cristalinas... 

Tempo para a família. Sair de mãos dadas com seu cônjuge. Ter um tempo a dois, de bate-papo. Sentar-se para brincar com as crianças.

Tempo para ler um bom livro, fazer uma boa meditação.

Tempo para si mesmo, para descansar, dormir além, sem compromisso.

Tempo para estar aos pés do Senhor, não para se lembrar dos  caprichos e das vaidades, mas simplesmente para desfrutar do Senhor e da sua presença.

Tempo para parar de correr secundariamente.

A vida passa, e tudo o que vale a pena também. 

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Relex! Cuidado!

Relaxar é bom e perigoso ao mesmo tempo. 

É bom porque é renovador, porque proporciona reflexão livre, porque nos faz olhar em volta.

É perigoso porque afrouxa a válvula de segurança da vigilância. E quando isso acontece achamos que temos direito de chegar perto do perigo, e uma vez perto... Achamos que podemos dar um folga para as "tensões do não". 

O profeta Elias foi ousado e venceu os profetas inimigos, mas depois de grande pressão sofreu depressão. Ficou com medo de Jezabel. Foi pra caverna.

Talvez depois de tanta luta você não irá pra caverna nem murchará no ânimo, mas poderá ter reação contrária, daquelas experiências que podem instigar uma adrenalina diferente.

Então, em feriados, folgas e férias devemos cuidar para viver somente o melhor da festa.